Avançar para o conteúdo principal

SRP80

De modo a voltar a ganhar o "tal do calo" de umas horas valentes em cima da bike antes de voltar à travessia este ano, decidi ir testar a minha forma a Serpa :)

Lá fui eu, partimos na sexta para pernoitar em Évora e assim ficar um bocadinho mais perto, mas mesmo assim foi doloroso acordar às 6h da manhã para garantir que chegávamos perto das 8h30 a Serpa!

Assim que chegámos, enquanto o Sérgio foi arranjar um lugar para o carro, eu corri ao secretariado para levantar os nossos dorsais, encontrei o Ludos em "stress" e a Tekas muito bem disposta e que me recebeu logo com um sorriso! :)

Prontos para a partida do SRP80, já que os valentes que iam participar no SRP160 já tinham arrancado há uma hora, não eramos muitos e aí fiquei um bocadinho "assustada" já que tinhamos combinado entre nós que seguia cada um a seu ritmo, mas como era a primeira vez que iria fazer uma maratona de 80kms completamente sozinha, ao perceber que não havia assim tanta gente, só pensava "e se fico para trás sozinha?", por causa disso resolvi levar comigo o iPod, mas ainda bem que não necessitei de o utilizar!

Na partida ainda vi algumas caras conhecidas, que depois também fui revendo ao longo do percurso... o início foi bem acessível, praticamente sempre a descer, deu para manter um ritmo porreiro sem queimar muito, o Sérgio ainda veio comigo um bocado, mas depois percebi que ele ia esperar e disse-lhe para ir à vida dele, para não se prender por causa de mim... e lá fui seguindo, sozinha com os meus pensamentos! :)

Soube-me bem durante um bom bocado pedalar sozinha, ir sempre ao meu ritmo, sem fazer esperar ninguém, parei em todos os abastecimentos para ir gerindo o esforço, de resto só parei para vestir e despir o impermeável e para emprestar a bomba, já perto do final, a um bttista com um furo...

Tive a sorte de ir apanhando pessoal porreiro pelo caminho, que me fez companhia em determinados momentos, o que ajudou claramente a vencer a barreira psicológica do esforço à medida que iam passando os kms, ainda para mais com o tempo cinzento e a ameaçar chuva, o piso pesado em determinadas zonas, é normal que o psicológico não estivesse a 100%, mas nunca deixei de acreditar e nunca deixei de dar o que tinha, mesmo com uma dorzita ou outra de pescoço pelo meio (tenho mesmo de melhorar a postura na bike)!

O percurso era bem porreiro, passámos por zonas fantásticas, num dia de sol aposto que a paisagem seria ainda mais deslumbrante, infelizmente não foi o caso, mas mesmo assim o São Pedro só despejou baldes de água a sério por volta dos kms 20/30, mais coisa menos coisa, mas foi "sol" de pouca dura e ainda bem! Os abastecimentos também estavam bem porreiros, gostei sobretudo da oportunidade de no terceiro abastecimento ter provado "mel de favo" cedido pelo proprietário de umas colmeias que estariam um pouquinho mais à frente no percurso... que maravilha!

A partir dos 50kms comecei a sentir mais quebra, mas fui avançando e o que me custou mesmo mais foram os últimos 5kms, e, algures por essa altura, ainda senti uns ameaços de cãibras nos quadricípedes laterais quando pedalei de pé para transpor uma subida, mas não avançaram e ainda bem... mas não me livrei delas durante os alongamentos depois da chegada, mas aí já estava feito! ;)

Soube muito bem chegar ao fim e ter a sensação de ter conseguido terminar esta aventura e ter corrido tudo bem! Venham mais desafios! :)

A única prova da participação aqui está, para "recuerdo":

Comentários

Alberto disse…
Parabens Soraia!

Mais um desafio cumprido!
A esse ritmo vais ficar sem desáfios em pouco tempo!

Bjs.
lidia disse…
Não concordo:) A vida é um constante desafio. Beijinhos comapnheira
disse…
Estás mesmo feita numa pró. Ainda pensei acompanhar-te nos 120 de Alvalade-Porto Covo, mas fico-me mesmo pelos 60km antes que fique envergonhada.
Bjs. e força aí.
ASG disse…
Olá, olá, Alberto, Lídia e Teresa!!! :) Obrigado pelas vossas palavras ;)

Primeiro que tudo, espero que nunca me faltem desafios, no BTT e/ou na vida!!!

Segundo, ó Teresa,'bora lá para os 120, vais ver que não custa nada... a sério! Arrisca! :) Depois ainda ficas triste por não teres tentado... Força!!!

Mensagens populares deste blogue

XTERRA MAUI | Ou o azarado Campeonato do Mundo...

Depois de muita preparação, dedicação e esforço esta época, eis chegado o momento de pôr à prova todo o tempo despendido a treinar.

Um destino como o Hawaii era motivo suficiente para querer enfrentar o desafio, mas mesmo com todo o treino feito estava receosa sobre o que iria encontrar, sobretudo em termos de clima. Mas a verdade é que chegámos com uma semana de antecedência, para nos ambientarmos, descansarmos e entrarmos na rotina do novo fuso horário - sim, são 10h de diferença!

A semana antes supunha algum descanso e as tão aguardadas férias, mas não podíamos deixar a forma totalmente de lado... tinha de continuar a haver algum treino... como não podia deixar de ser, e porque fomos 2 semanas, levámos a nossa Piruças connosco, pelo que tínhamos de treinar à vez, mas assegurámos que tínhamos uma babysitter de confiança para ficar com ela durante a prova, não deixando isto de nos causar algum nervoso miudinho, porque no Hawaii não falam português, certo? ;-)

Mas é da prova que quero…

HAPPY!!!!!

Sinto-me infinitamente feliz :-)

E por algo tão simples como ter batido o meu record pessoal nos 100m livres! êêêêê

Mas há várias razões para que este record batido seja tão motivante:
# porque ele significa menos 5" de um anterior record que eu nem sabia bem como o tinha feito;
# porque nas 2 séries de 100m que fiz hoje, na 1.ª igualei o anterior record e na 2.ª esmaguei-o;
# porque trazia um record pessoal da época passada de mais 22.5" que o actual;
# porque isto é resultado de um trabalho árduo e muito individual;
# porque para evoluir fiz muita pesquisa para perceber como poderia melhorar;
# porque nado unicamente acompanhada pelo meu Garmin Forerunner 910XT que me ajuda a avaliar toda esta minha evolução;
# porque nunca desisti de querer melhorar;
# porque me gravei em Agosto com intuito de perceber alguns erros e isso ajudou-me imenso: percebi que estava a colocar o braço cruzado à frente da cabeça e que a minha mão também não entrava como deve ser na água (além de ou…