Avançar para o conteúdo principal

Até às antenas de Montejunto...

Apesar da chuva, do vento e do frio... cheguei lá acima!

É verdade, apesar do boletim meteorológico não ser favorável, decidi que não ia adiar o meu épico dia de pedalada! :) Sem horas combinadas, despachei-me quando consegui e parti da Azambuja entre as 9h30 e as 10h!

Comecei com alguma serenidade, tinha logo a valente subida de alcatrão à saída da Azambuja que transpus com calma… no cimo, voltei a tirar o impermeável, que tinha vestido por causa do vento, antes que começasse a ficar muito quente! Continuei por trilhos e de repente cai uma carga de água brutal… por momentos duvidei se deveria continuar, mas, assim como veio, foi!!!

Continuei… apesar de ter feito este percurso o ano passado, já não me lembrava de muitos pormenores, como por exemplo, apanharmos muito alcatrão antes de chegar a Montejunto.

Ia vendo Montejunto ao longe ora muito enublado (a cair uma carga de água por lá) ora limpo, e tive sorte porque quando me aproximei estava limpinho, já me estava a imaginar a fazer a grande subida desde São Salvador à chuva… SAFA!

No cimo parei para o primeiro abastecimento, mas sem perder muito tempo, começava a enublar novamente e estava vento, fiz-me ao caminho até chegar a Montejunto propriamente dito, comecei a percorrer os trilhos e em sentido contrário, passou um grupo de bbtistas em treino, no qual estava incluído o Marco Sousa, iam cá com uma pedalada! Lá continuei no meu ritmo infernal (LOL), e fui subindo, subindo, subindo, e para muito gládio meu, consegui fazer todas as subidas, inclusive as duas mais técnicas com muita pedra!

Finalmente cheguei à estrada… ah, era aquela parte que tinha de subir, subir, subir! Ainda parei momentaneamente no parque de merendas, mas decidi que faria o próximo abastecimento nas antenas, por isso, continuei a subir, subir, subir até lá acima… enquanto subia só pensava, mas afinal isto é mais longe do que eu pensava! :P Lá em cima, estava muito vento e muito frio, no cimo, junto a uma antiga capela, tirei a foto para “recuerdo”, comi uma barrita e meti-me novamente a caminho, primeiro até à zona militar e finalmente voltei a descer…. Medo, muito medo, as vergastadas do vento eram tais que tinha de fazer força para me manter a direito e tinha de ir a travar bastante na descida para não ser atirada para a berma! BOLAS!

Desci, desci, até voltar a apanhar de novo o track que me faria percorrer a primeira parte do trilho até à descida que me levaria à Abrigada. Desta vez não me lancei como no ano passado (em que atingi a minha velocidade máxima de sempre - 65km/h), o vento também não o permitiria, já que vinha de frente e acabava por travar um pouco.

Na Abrigada parei no café para comprar uma garrafa de água, e quando arranquei começou a cair uma chuvada, a mais longa do dia, ainda foram uns bons 20 minutos de chuva… mas percorri os trilhos com vontade de chegar ao fim o mais depressa possível, pelo que até perto de Vila Nova da Rainha fui sempre numa velocidade média alta.

Mas para o fim estava guardado ainda um “doce”, umas subidinhas jeitosas antes de chegar ao alcatrão que me levaria de novo à Azambuja… nessa altura, comecei a sentir uma dor/tensão no pescoço, já não tinha posição para estar, mas lá fiz as subidas com calma, embora me sentisse um bocado enjoada. Lá cheguei ao alcatrão, era quase sempre a descer até ao carro!!!!

Que bom chegar com um sentimento de dever cumprido! :) Foi um óptimo dia de pedaladas ;)

Ainda lanchei no cafezinho da rua, e fui visitada pelo Jorge (JMG) e pela Ana que chegavam a casa com os gémeos e viram a bike no carro! Muito catita!!! :)

Comentários

Miguel disse…
Se o tempo não estivesse armado em malandro ainda nos cruzávamos por lá. Assim, estivemos desencontrados por 24 horas. O nosso trilho também foi outro. Mas o objectivo o mesmo: antenas de Montejunto.

Mensagens populares deste blogue

XTERRA MAUI | Ou o azarado Campeonato do Mundo...

Depois de muita preparação, dedicação e esforço esta época, eis chegado o momento de pôr à prova todo o tempo despendido a treinar.

Um destino como o Hawaii era motivo suficiente para querer enfrentar o desafio, mas mesmo com todo o treino feito estava receosa sobre o que iria encontrar, sobretudo em termos de clima. Mas a verdade é que chegámos com uma semana de antecedência, para nos ambientarmos, descansarmos e entrarmos na rotina do novo fuso horário - sim, são 10h de diferença!

A semana antes supunha algum descanso e as tão aguardadas férias, mas não podíamos deixar a forma totalmente de lado... tinha de continuar a haver algum treino... como não podia deixar de ser, e porque fomos 2 semanas, levámos a nossa Piruças connosco, pelo que tínhamos de treinar à vez, mas assegurámos que tínhamos uma babysitter de confiança para ficar com ela durante a prova, não deixando isto de nos causar algum nervoso miudinho, porque no Hawaii não falam português, certo? ;-)

Mas é da prova que quero…

HAPPY!!!!!

Sinto-me infinitamente feliz :-)

E por algo tão simples como ter batido o meu record pessoal nos 100m livres! êêêêê

Mas há várias razões para que este record batido seja tão motivante:
# porque ele significa menos 5" de um anterior record que eu nem sabia bem como o tinha feito;
# porque nas 2 séries de 100m que fiz hoje, na 1.ª igualei o anterior record e na 2.ª esmaguei-o;
# porque trazia um record pessoal da época passada de mais 22.5" que o actual;
# porque isto é resultado de um trabalho árduo e muito individual;
# porque para evoluir fiz muita pesquisa para perceber como poderia melhorar;
# porque nado unicamente acompanhada pelo meu Garmin Forerunner 910XT que me ajuda a avaliar toda esta minha evolução;
# porque nunca desisti de querer melhorar;
# porque me gravei em Agosto com intuito de perceber alguns erros e isso ajudou-me imenso: percebi que estava a colocar o braço cruzado à frente da cabeça e que a minha mão também não entrava como deve ser na água (além de ou…