Avançar para o conteúdo principal

Nocturno debut em Monsanto

Não há provas, mas sim, ontem fiz o meu primeiro nocturno de btt...

O principal motivo para este nocturno foi a preparação para as 24h de Monsanto, uma vez que como o nome indica, são 24 horas a pedalar - incluindo noite ;-) - e eu nunca tinha pedalado à noite, por isso estava na hora!!!

Combinámos às 21h no estacionamento junto ao Califa para fazermos a entrada para Monsanto pela passagem aérea.

O guia foi o Miguel que mesmo conhecendo bem Monsanto de dia, deixou escapar uma entrada para um trilho ou outro por causa da falta de luz...

A voltinha ainda foi mais longa que o previsto, sobretudo em termos de duração, a horita programada esticou até 1h40, porque a velocidade foi bem mais moderada...

Logo na primeira descida mais pronunciada consegui mandar-me para o chão numa curva, tudo porque me assustei, o problema é que o pé não saiu do pedal e acabei por torcer o tornozelo... fiquei ainda um bocadinho em recuperação, a ver se dava ou não para continuar, mas depois de um bocadinho achei que sim, embora evitasse encaixar o pé no pedal por precaução!

Ainda subimos bastante, fizemos a sequência de subidas junto à A5 que vai dar ao pé d'um restaurante e posso dizer que à noite parece bem mais fácil, uma vez que como não vemos a inclinação o factor psicológico acaba por facilitar! Ah, a subida super inclinada do cotovelo que fazia parte das 24h de Monsanto do ano passado, de noite, faz-se com uma perna às costas... aquilo é mesmo inclinado? ;-)

A Andreia caiu umas poucas de vezes, sem danos de maior - uma mão e um joelho esfolado - e o Vasco caiu já no final porque decidiram fazer o singletrack que leva ao parque da Pedra, mas va lá, o que podia ter sido uma queda aparatosa, foi apenas um susto e uma pequena mazela na perna...

Sem quedas ficaram o André e o Miguel, é que o André mesmo sem luz (a luz dele não durou mais q 15 minutos) safou-se bem e só dizia «sem luz é que é.... sem luz é que isto se faz bem»!!! Sim, sim....

Já passava um bom pedaço das 23h qdo voltámos aos carros, tendo-nos despedido do Miguel ainda no trilho...

Foi uma aventura bem engraçada, que para mim se prolongou ainda em casa com o belo saco de gelo no tornozelo ;-)

Comentários

Miguel disse…
Xiiii, um nocturno! Que fixe!
Um dia ainda experimento, mas tem de ser uma coisa mais fácil. E preciso de comprar uma luzes decentes, porque não acredito no André ;)
Andreia disse…
Foi muito giro! Pena as minhas 3 quedas, mas sem luz e ainda em fase de adaptação aos pedais de encaixe... Não me safei :)
Temos que repetir!!
Bjinhos

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Trail do Castelejo

Aproveitando que iamos passar o Carnaval a Leiria e que tinha de me forçar a treinar, descobri que no domingo acontecia aqui pelas redondezas o Trail do Castelejo e convenci o CC a vir comigo.
Optámos pelo percurso de 22km, que dava para fazer um bom treino sem abusar demasiado, Sicó é daqui a 2 semanas! A altimetria não era assustadora, sabia que ia apanhar uma parede pequena logo no princípio (que não foi tão pequena como isso dada a inclinação da coisa) e depois uma subida de cerca de 3k do km 12 ao 15, mais coisa menos coisa.

Chegámos a horas de levantar o dorsal com calma, ir ao carro decidir o que levávamos ou o que ficava no carro, ir aquecer um bocadinho e ainda conversar com o André, primo do CC, que viria a ficar em 3.º da geral masculina dos 22km.
Fomos para a partida e conseguimos furar para não ficar muito atrás. Logo logo, partida dada! Arrancámos com pica e tentei seguir o CC, mas não, ele fura com uma pinta e deixei de o ver num instante. Avancei, tentando analisar qu…