Avançar para o conteúdo principal

Objectivo Travessia: Cumprido!!!

O grande desafio para este ano foi cumprido com sucesso!!!!

5 dias da Travessia de Portugal. De Monsaraz até Sagres. Um verdadeiro teste à minha capacidade de resistência e determinação!

A verdade é que todos os meus receios se foram dissipando ao longo dos dias, e a cada nova subida fui arranjando força para a próxima...

Percorrer o Alentejo e o Algarve foi uma experiência fantástica, as paisagens de tirar a respiração, a companhia sempre aprazível e divertida, tornando as horas a pedalar muito agradáveis!

Na 1.ª etapa que percorri, tinha como cenário inicial Monsaraz e a barragem do Alqueva, que durante bastante tempo nos acompanhou com os seus inúmeros braços que irrompem as terras circundantes, não foi uma etapa difícil, antes pelo contrário, foi a ideal para o primeiro dia.

Cheguei muito bem a Pias, ainda estive tentada a mergulhar na piscina, mas só consegui molhar as pernas.... Estava fresquinho!!!

Os jantares sempre foram bastante agradáveis, boa comida, bom vinho, boas sobremesas e bastante convívio! Os briefings acerca do dia seguinte muitas vezes já eram escutados com um olho aberto e outro fechado, devido ao cansaço acumulado!

O dia seguinte, não iria ser muito diferente, era um pouco mais comprido, mas a dificuldade não era muito maior, de qualquer maneira, como fui mais de metade do caminho com o grupo de mais andamento, acabei por puxar muito mais e chegar um bocado cansada a Castro Verde, uma vez que apanhámos vento de frente nos kms finais...

A terceira etapa já era uma etapa mais complicada comparando com as duas anteriores, mas o cenário era fabuloso apesar da chuva que começou a cair logo pela manhã… Passámos várias barragens, bosques densos e subidas longas, a chuva começou a cair muito forte à hora de almoço e acompanhou-nos até chegarmos à Pousada de Sta. Clara, pelo que para entrar tivemos de levar uma mangueirada cá fora, tamanha era a lama que tínhamos agarrada… apesar de ter sido uma experiência extrema, foi absolutamente fantástica!

Por causa da chuva, não aproveitamos a fantástica pousada de Sta. Clara que está localizada numa envolvente lindíssima, a piscina tinha muitíssimo bom aspecto, mas o céu jorrava água à séria….

O dia seguinte não amanheceu com melhor aspecto, no entanto o pequeno-almoço foi tão retemperador que o início apesar de bem fresco, foi fácil, mesmo quando esta etapa era a que mais me assustava, pois apesar de apenas contar com 55km o acumulado ultrapassava os 1500m, o que caracterizava a etapa como difícil. Sabia que podia também contar com a subida mais difícil de toda a Travessia, 3km em mau piso em que subíamos cerca de 350m, em alguns trechos com inclinações superiores a 20%, seria depois desta subida que iríamos entrar no Algarve. Não subi montada os 3km completos, mas pouco faltou, o que me deixou bastante satisfeita! Após longa descida, chegaríamos ao alcatrão onde subiríamos a serra durante cerca de 7km, numa estrada secundária com inclinações deveras interessantes… depois de muita subida, iniciámos a descida para Monchique onde nos deliciámos com doces Algarvios e foi sempre a descer até ao Hotel Termal onde eu me deliciei no circuito termal…. Que categoria!!! :-)

O derradeiro dia da travessia começou com um nó na garganta, além de ser o último (a aventura estava a terminar), era o dia mais longo e com maior acumulado de subida… Apesar dos jactos de água nas pernas no dia anterior, as pernas estavam cansadas, o que me deixou apreensiva a principio, mas senti-me bem, começámos com uma descida mas depressa iríamos começar a subir, ainda frios, a primeira subida da manhã era demasiado inclinada e técnica, sendo que o aconselhado foi desmontar para não comprometer o resto do dia! A serra algarvia tem o seu quê, muita pedra e muita subidinha com inclinações bem jeitosas… Fomos em direcção ao mar, atravessámos o parque eólico do Espinhaço de Cão e em breve estávamos na Bordeira. A paragem para “abastecimento” foi na Carrapateira, onde se iria iniciar a nossa jornada junto à falésia praticamente até Sagres… Mas ir junto à falésia, apesar de ser arrebatador pela paisagem belíssima que nos circunda, é bastante desgastante pelos altos e baixos e por ter trechos bastante técnicos, apesar de que os mais hardcore eu nem sequer os experimentei… A primeira descida suicida, apenas foi conseguida integralmente pelos dois ingleses que nos acompanharam: o Anthony e a Louize, dos tugas que tentaram apenas o Pedro chegou ao final montado, o Carlos mandou uma queda assustadora, mas só com danos para a manete do travão (que foi posteriormente recuperada) e o Luís conseguiu a proeza de saltar da bike e vir a correr ao lado dela sem saber muito bem como…. :-) O Miguel e o Paulo furaram e desistiram de a fazer, e o resto do pessoal - onde eu me incluia - assistíamos ao espectáculo cá de baixo que era só por si assustador. Logo a seguir vinha um single a subir que só visto, cair para a direita era a morte do artista, alguém ainda conseguiu partir a corrente no início da subida e mandar uma mega tralho para trás que foi aparatoso, mas não causou danos de maior….

Juntámo-nos todos após a praia da Cordoama, na última grande subida da Travessia (1,2km), para juntos chegarmos a Sagres, foi a primeira vez que todo o grupo rolou tantos kms todo junto, num andamento calmo e simpático, a aproveitar os últimos 15 kms desta aventura…

Foi tirada a foto da praxe junto à placa de Sagres, não senti a emoção que acompanha os que completam os 1150kms da Travessia, mas senti uma enorme alegria por ter alcançado o meu objectivo e por ter sido capaz de percorrer todos os kms com determinação e vontade de terminar, só por isso sinto-me muito mais forte!!!

A verdadeira Travessia termina com um suposto banho de mar completamente equipados na Praia da Mareta, eu como sou uma mariquinhas, apenas molhei as perninhas e mesmo assim estava cheia de frio…. Seguiu-se um banho quentinho na Pontalaia e foi arrumar as coisinhas e pormo-nos a caminho de Lisboa!

Não vou esquecer estes dias completos de btt, de conversas, de companheiros do pedal, de repastos fantásticos e de vistas fabulosas… para o ano há mais, pelo menos assim espero!!!!

Estatísticas:
387km
29h41m em cima da bike
7091m acumulado
0 quedas
0 furos
1 barra
2h de SPA


Mais fotos em:
Travessia Portugal_21a25Mai08

Comentários

Pacha disse…
QUE INVEJA!!!!!!
Parabéns por mais esta etapa.
Blackbelly disse…
Muitos parabéns ao dois! Grande inveja ;)
Já agora... A Louize era Hill?
ASG disse…
Sim, é a Louize Hill, é ela a tua colega? Ela acompanha quase todos os anos a Travessia... Não sei se também vai acompanhar a TransPortugal que começa dia 1 de Junho (tu bem falavas em Junho)...

É uma corajosa, para além de andar muito bem de bike e ser uma porreira!
Miguel disse…
Parabéns Soraia e Vasco pela coragem de se meterem numa aventura dessas.

Para mim uma voltinha por semana já me chega. Nem imagino como é pedalar esses dias todos seguidos e com essa altimetria.

Agora, nas voltas Maníacas, tenham calminha, tá bem?!!!
Blackbelly disse…
Eu nem sabia que a Louize estava na travessia :D Mas sabia qe ela estava ligada à ciclonatur. A colega do Transportugal será outra ;)
Cepo disse…
Muitos parabéns aos dois. Não deve ter sido fácil , mas com certeza que valeu a pena.
Jaime Beato disse…
Escusado será dizer... PARABENS !!!
Ficamos extremamente felizes que vocemecês tenham cumprido o objectivo.
Espero que no futuro tenhas a bondade de esperar por nozes... especialmente por mim, que já não sei o k é uma bike há muito tempo.
Anónimo disse…
depois da leitura desta magnifica aventura fica uma vontade de um dia ter coragem para fazer o mesmo!!(inveja dirão):) mas é também uma grande satisfação pelo feito conseguido por alguém que se conhece e de quem se gosta!!
muitos parabéns aos dois!!!
nani
lidia disse…
é...é uma aventura e peras...daquelas k ficam guardadinhas, nem k seja pelo companheirismo, pela determinação de cumprir um objectivo,e sei k para ti foi muito mais.Mas é uma inicitaiva arrojada... de louvar;nunca percam esse espirito inovador....Um grande abraço....e até domingo!!!Temos muita conversa para por em dia... :)ehheh

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Trail do Castelejo

Aproveitando que iamos passar o Carnaval a Leiria e que tinha de me forçar a treinar, descobri que no domingo acontecia aqui pelas redondezas o Trail do Castelejo e convenci o CC a vir comigo.
Optámos pelo percurso de 22km, que dava para fazer um bom treino sem abusar demasiado, Sicó é daqui a 2 semanas! A altimetria não era assustadora, sabia que ia apanhar uma parede pequena logo no princípio (que não foi tão pequena como isso dada a inclinação da coisa) e depois uma subida de cerca de 3k do km 12 ao 15, mais coisa menos coisa.

Chegámos a horas de levantar o dorsal com calma, ir ao carro decidir o que levávamos ou o que ficava no carro, ir aquecer um bocadinho e ainda conversar com o André, primo do CC, que viria a ficar em 3.º da geral masculina dos 22km.
Fomos para a partida e conseguimos furar para não ficar muito atrás. Logo logo, partida dada! Arrancámos com pica e tentei seguir o CC, mas não, ele fura com uma pinta e deixei de o ver num instante. Avancei, tentando analisar qu…