Avançar para o conteúdo principal

Em Sintra no dia do trabalhador

O ponto de encontro era na Lagoa Azul às 9h30, mas a essa hora já estavamos todos a pedalar, praticamente toda a gente chegou mais cedo... Éramos 12, eu, o Carlos, a Tânia, o Miguel, a Nani, o Aurélio, o Galvas, o Francisco, o Luis, o Dino e mais um senhor e o filho dele que eram amigos do Dino (se não me engano).

Começámos a subir a longa subida desde a Lagoa Azul até aos 4 Caminhos, entrámos no single da descida com os drops, a seguir fizemos o single dos troncos, e por último, fizemos o outro single que começa com as pedras.

Daí fizemos a descida que depois nos leva à subida do convento dos Capuchos.

Abastecimento no parque de estacionamento dos Capuchos.

Em conversa com o Galvas e o Dino, disse-lhes que queria subir o Monge até lá acima sem parar, ambos me incentivaram, assim, começámos a subir com calma (a minha calma, para manter o meu ritmo), o Dino veio sempre comigo e libertámos o Galvas dessa tarefa... estava a correr muito bem, consegui controlar respiração e esforço, mas o pneu escorregou na terra já no cotovelo com vista para a Praia das Maçãs, mas não desarmei... O Dino ajudou-me a montar outra vez e daí foi sempre a subir até lá acima!!! :-) YEAH!!!

Nessa altura, aproveitei para pôr ar no meu pneu da frente que estava em baixo (suponho q seja um furo lento), e fomos até à Peninha, que também consegui subir até lá acima! 2 YEAHS!!!


Depois da foto de grupo, descemos novamente, mas um dos companheiros que não sei o nome estava com um problema no pipo e ficámos na base a aguardar a resolução...

Começamos a descer, e num momento de excesso de confiança, o pneu resvalou entre terra e calhau e perdi o controlo da bike, mandei um tralho como há muito não mandava, mas fiquei impecável, sem sequer um arranhão, apenas uma sensação de pé torcido que passou em 2 minutos...

Continuamos a descida pelo caminho habitual, no final, apanhámos um estradão rolante que nos levou até à primeira encruzilhada, como os mais rápidos já lá iam há muito tempo, quando cheguei ao portão no final do estradão pensei 'hum, por aqui vai dar à Malveira, mas não é por aqui que eles devem ter ido...', deixei chegar o resto do pessoal e, em consenso, descemos o outro trilho - decisão acertada - que nos levou à barragem do Rio da Mula!

Daí mais uns poucos trilhos e entravamos no alcatrão que nos ia levar de novo ao carro!

Despedidas, alongamentos, voltar a colocar a bike dentro do carro (sim, porque como é óbvio não chego aos suportes da bike) e voltar para casa.... que belo FERIADO!!!!

Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 28,26km
Tempo: 2:21:12
Média: 12,00

Nota: Fiquei sem registo de 3km que fiz entre o topo do Monge e a Peninha, como tive a encher o pneus, o iman ficou virado para o lado... :-(

Comentários

Miguel disse…
Soraia, estás com um ritmo impressionante. Parabéns! Já estás preparada para a travessia.
ASG disse…
Obrigada :-)
Espero que sim, ando a treinar para isso....!
Anónimo disse…
GRANDE Soraia !
Eu é que tenho razão a seguir á travessia ninguém te apanha.
Espero que a queda não tenha sido nada de mais
Beijocas
Carla
lidia disse…
pois pois...andas em grande....continua.... vais longe!
Saudades desses pontos k frisaste e k ja conheci LINDOS.... Beijos

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Meia Maratona de Lisboa

Parece que já não fazia uma meia maratona de estrada desde 2013, muito bem acompanhada pela minha madeirense preferida, a Catarina Dinis, cujo relato podem ler aqui no blog, e que terminei em 1h49m40s.

Nessa altura fiz treino específico e praticamente dei cabo de mim (fiz uma lesão na anca que me deu luta durante uns meses), nada disso aconteceu desta vez ;-)

Desta vez o treino é específico para trail, desta vez não houve cá descanso nas vésperas da prova (fiz treino de ciclismo e trail na véspera), desta vez não houve semana levezinha (treinei todos os dias só folguei, como habitualmente, na sexta-feira)... o foco não era esta prova, se bem que eu tinha um objectivo na cabeça que queria mesmo muito cumprir! Queria bater o meu recorde pessoal e se possível, queria terminar abaixo da 1h45m!

No entanto, havia uma certa e determinada (tempestade) Félix no ar que provocou uma alteração no local da partida - desta vez não passámos a ponte 25 de Abril - e nos fez comer vento e granizo no l…

IX Trail Longo de Conímbriga Terras de Sicó

Para esta prova consegui convencer a minha lebre a vir comigo, não só apenas à prova, mas fez-me companhia praticamente toda a prova, uma raridade nos últimos anos ;-) No início até tive pena dele porque eu não dava mais e ele estava cheio de gás... mas ele ficou comigo! Isto é amor, senhores! <3
Fomos de véspera com os miúdos levantar os dorsais e para ver algum pessoal do longo a chegar... valentes! A minha filha delirou com o ambiente... mas não do trail... mas sim do rancho folclórico que estava a actuar :-) :-) :-)

No dia seguinte, tinhamos de chegar antes das 8h30 para tirar a foto de equipa conforme tinhamos combinado e assim foi, cheguei on schedule ;-)



Cumpridas todas as tarefas pré-prova, bora lá para a partida que já estava bem cheia e pouco deu para furar... tenho de trabalhar melhor esta cena de chegar cedo à partida!

Partida dada e vamos em euforia percorrendo as ruas de Condeixa-a-Nova...

Daí a Conímbriga foi um pulinho, sempre à morte... e era exactamente como me s…