Avançar para o conteúdo principal

Duatlo Festival Bike

A prova deste domingo era a última da época, um duatlo btt para fechar o campeonato XTerra.

Eu e o CC rumámos a Santarém para fazer, pela primeira vez este ano, uma prova em conjunto, mas obviamente com objectivos muito diferentes, está claro.

Estávamos a chegar ao Parque de Transição e começa a cair uma chuvada, não era um início auspicioso, mas afinal foi só ameaça porque o tempo depois estabilizou, de qualquer forma, o terreno ficou um bocadinho ainda mais ensopado e lamacento!

Voltámos ao carro para comer, deixar a roupa e fazer um primeiro aquecimento de corrida. Daí novamente para a zona da prova. Continuamos o aquecimento no percurso de corrida à laia de reconhecimento e para não arrefecer.

A partida estava próxima, toca a alinhar. PARTIDA! Toca a correr... começo logo a perder terreno aos poucos, a tal da falta de treino de corrida que já vai em 3 semanas arruma-me na cauda do pelotão. Sinto novamente a bela da dor de burro, desta vez bem mais cedo que na Corrida do Sporting. Respira fundo, respira fundo! Lá cumpro as duas voltas e tento sair rapidamente na bike.

Mas o rapidamente tornou-se lentamente... o terreno estava muito enlameado e a falta de saídas em BTT nesta época piorou em muito a minha confiança. A primeira volta foi feita a apalpar terreno, com alguns passeios pedestres que me fizeram perder imenso tempo [MENINA!!!], só pensava 'o que é que estou aqui a fazer?', entro na 2.ª volta com cãibras, o que não é bom... a coisa lá melhora, mas começo a ser dobrada pelos primeiros; apesar de estar a ser mais rápida que na primeira volta, o facto de me resguardar para que os primeiros passem também me faz perder algum tempo. Finalmente, última volta - novamente as amigas cãibras - mas tenho o percurso só para mim... ou quase... cheguei mesmo a pensar que era a última! Não era, mas quase! Só me cruzei com um atleta durante o percurso que desconfio ter desistido... Mas a última volta foi mesmo a melhor e a mais rápida :) Com o percurso só para mim, decidi não "desistir" e fazer todas as descidas escorregadias e todas as subidas empinadas (essas já tinha feito antes) sem pôr o pézinho no chão!

Finalmente chego ao PT, coloco a bike, descalço os sapatos de encaixe, mas mais cãibras ao tentar calçar as sapatilhas... DOR! Acabo por rebentar dois dos elásticos com que substituí os atacadores, mas faço-me à mesma à corrida com o gás que ainda tinha! Não me rendi... dei o que tinha e cheguei ao fim, depois de 1h38'36'' para cumprir os 3,4km da corrida 1, os 15km de btt e os1,7km da corrida 2.

Não foi um resultado brilhante, pelo contrário, fiquei bem abaixo do meu objectivo, mas ok, sem treino não há milagres, certo?

À tarde, passeio no certame para ver as novidades das bikes.

Com a época terminada, resta o mini-triatlo que irei fazer em Novembro em águas quentinhas e começar a preparar a próxima época, que espero que corra melhor ;-)


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Meia Maratona de Lisboa

Parece que já não fazia uma meia maratona de estrada desde 2013, muito bem acompanhada pela minha madeirense preferida, a Catarina Dinis, cujo relato podem ler aqui no blog, e que terminei em 1h49m40s.

Nessa altura fiz treino específico e praticamente dei cabo de mim (fiz uma lesão na anca que me deu luta durante uns meses), nada disso aconteceu desta vez ;-)

Desta vez o treino é específico para trail, desta vez não houve cá descanso nas vésperas da prova (fiz treino de ciclismo e trail na véspera), desta vez não houve semana levezinha (treinei todos os dias só folguei, como habitualmente, na sexta-feira)... o foco não era esta prova, se bem que eu tinha um objectivo na cabeça que queria mesmo muito cumprir! Queria bater o meu recorde pessoal e se possível, queria terminar abaixo da 1h45m!

No entanto, havia uma certa e determinada (tempestade) Félix no ar que provocou uma alteração no local da partida - desta vez não passámos a ponte 25 de Abril - e nos fez comer vento e granizo no l…

IX Trail Longo de Conímbriga Terras de Sicó

Para esta prova consegui convencer a minha lebre a vir comigo, não só apenas à prova, mas fez-me companhia praticamente toda a prova, uma raridade nos últimos anos ;-) No início até tive pena dele porque eu não dava mais e ele estava cheio de gás... mas ele ficou comigo! Isto é amor, senhores! <3
Fomos de véspera com os miúdos levantar os dorsais e para ver algum pessoal do longo a chegar... valentes! A minha filha delirou com o ambiente... mas não do trail... mas sim do rancho folclórico que estava a actuar :-) :-) :-)

No dia seguinte, tinhamos de chegar antes das 8h30 para tirar a foto de equipa conforme tinhamos combinado e assim foi, cheguei on schedule ;-)



Cumpridas todas as tarefas pré-prova, bora lá para a partida que já estava bem cheia e pouco deu para furar... tenho de trabalhar melhor esta cena de chegar cedo à partida!

Partida dada e vamos em euforia percorrendo as ruas de Condeixa-a-Nova...

Daí a Conímbriga foi um pulinho, sempre à morte... e era exactamente como me s…