Avançar para o conteúdo principal

A primeira vez na Arrábida...

E como há uma primeira vez para tudo, ontem, foi a primeira vez na Arrábida em BTT!


O ponto de encontro era o Largo do Chafarriz D. Maria I, que eu pensei saber onde era, mas não... A sorte foi a Carla e o Jaime terem passado por mim exactamente quando estava a tentar perceber para onde ia à entrada de Palmela!!!


Eram 8h30, estava um frio desgraçado (há quem diga estavam 0º, o que explica as extremidades congeladas!!), eu tinha-me deitado tarde e levantado cedo, mas estava prontinha para a aventura...


Finalmente arrancámos, no total 16 Maníacos, sendo que contavamos com o Miguel e a Tânia, já experientes na Arrábida, mas que se juntavam pela primeira vez a um passeio maníaco.


Logo ao arranque percebi que mais uma vez (isto acontece-me sempre) me tinha esquecido de verificar se o conta-km estava a funcionar, e claro que não estava... depois percebi que ainda tinha os dados do passeio anterior, mas consegui fazer um reset all (pensei eu...)!


A primeira parte foi muito fixe, fizemos um percurso junto aos moinhos, que dava logo para ver a vista fabulosa...

















Bem, a partir daqui começamos a descer e chegámos ao local onde à direita se encontrava a mítica subida "Cai de Costas" - juro que não percebo o porquê do nome (!?!) ;-) - e do lado esquerdo seguia um single track muito engraçado, era ainda mais engraçado se do lado direito tivesse berma e não uma ribanceira.... Medo, muito medo... Claro que fiz este single em modo caracol, mas ok!!!

Aí chegámos a uma zona de largos estradões, que deu para esticar um bocadinho... Já não sei se foi antes ou depois (aquele gajo alemão é tramado...), mas perdemos um elemento, o Periquito, que tinha vindo com o Pacha, isso fez com que tivessemos parados ainda durante algum tempo enquanto alguns dos enrolas foram à procura dele! Parece que seguiu outros bttistas serra abaixo, e quando chegou cá acima, já vinha todo roto... Ainda tentou fazer mais uns km, mas as caimbras não o deixaram, pelo que o Pacha achou melhor acompanhá-lo a casa, uma vez que o amigo era nativo da zona!

Ah, foi nessa altura que percebi que pelo meu conta-km já estava à 8h a andar, parece que só fez reset dos km e se esqueceu de fazer reset aos restantes dados da volta anterior....

Lá avançámos, já com atraso brutal, que nos fez imediatamente perceber que não iamos fazer todo o percurso...

Agora entrávamos na zona das subidas tramadas, aquelas que mesmo com esforço, eu ainda não consigo fazer: muitos regos, muitas pedras e mtas raízes! Resultado: lá vai a malta a carregar a bike a pé! Também não é fácil.... ;-)

Depois de umas descidas mais técnicas (feitas também à mão, está claro!), apenas ao alcance dos mais destidos (tipo GTO), lá cortámos caminho por alcatrão e começámos a aproximar-nos do final do passeio, que seria sempre a subir até Palmela!

Já nessa subida deu-me uma fome, mas dei conta que tinha uma barra que tinha deixado a meio, que consegui tirar do bolso da mochila e ir comendo...

E lá chegámos novamente ao Largo de onde tinhamos partido há longas horas atrás...

Obrigada aos maníacos que me foram acompanhando ao longo do percurso e me deram força nas subidas (obrigada Lúcio pelo empurrão!) e gostei de ver que eramos o único grupo por que passámos com mulheres!!!

Miguel e Tânia, espero que tenham gostado e voltem a andar connosco...

E para deixar este momento para a posteridade, aqui fica a foto das três Maníacas, ou se repararem bem, as "Woman in red" ;-)



Tânia, Carla e Soraia - GIRL POWER


Aqui ficam os dados-resumo (um bocadinho aldrabados):
Km percorridos: 34,9
Tempo: 3:07:01
Média: 11,09


Para terminar, uma pequena amostra em vídeo na primeira paragem.


ps - Agradeço ao Jaime as fotos enviadas para poder postar aqui!

Comentários

Miguel disse…
Olá Soraia.

Claro que gostámos da companhia. Vamos repetir muitas mais vezes.

A ver se logo também faço uma reportagem no meu blog (obrigado pelo link. Já adicionei o teu). Vou aproveitar umas fotos daqui.

Um conselho: quanto mais rápido fores, nos single tracks, menos medo terás. Pelo menos comigo é assim.

Miguel
asg disse…
Ainda bem que vão voltar! ;-)

E tens razão nisso de ir mais rápido, o que eu vou ter de fazer é deixar os pedais & sapatos de encaixe em casa por uns tempos, para voltar a ganhar mais confiança... Acho que só isso vai ajudar imenso!!!

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Trail do Castelejo

Aproveitando que iamos passar o Carnaval a Leiria e que tinha de me forçar a treinar, descobri que no domingo acontecia aqui pelas redondezas o Trail do Castelejo e convenci o CC a vir comigo.
Optámos pelo percurso de 22km, que dava para fazer um bom treino sem abusar demasiado, Sicó é daqui a 2 semanas! A altimetria não era assustadora, sabia que ia apanhar uma parede pequena logo no princípio (que não foi tão pequena como isso dada a inclinação da coisa) e depois uma subida de cerca de 3k do km 12 ao 15, mais coisa menos coisa.

Chegámos a horas de levantar o dorsal com calma, ir ao carro decidir o que levávamos ou o que ficava no carro, ir aquecer um bocadinho e ainda conversar com o André, primo do CC, que viria a ficar em 3.º da geral masculina dos 22km.
Fomos para a partida e conseguimos furar para não ficar muito atrás. Logo logo, partida dada! Arrancámos com pica e tentei seguir o CC, mas não, ele fura com uma pinta e deixei de o ver num instante. Avancei, tentando analisar qu…