Avançar para o conteúdo principal

Cascais Trail Experience

Este domingo estava inscrita em mais um trail do circuito Lisboa Trail by Buff, mantendo-me distância curta que o treino não abunda por estes lados.

Sábado estava um dia espectacular, mas, perguntam vocês, como é que amanheceu domingo? Com um dilúvio, pois claro! Já mal dizia a minha vida, que o circuito estava malfadado, que já me tinha bastado a molha de Bellas, mas na verdade, salvo a mudança de outfit, meti-me no carro resignada a apanhar uma senhora molha!

A bem dita viagem de carro foi feita sob chuva e vento, mas, miraculosamente, assim que saímos da A5 a chuva deu tréguas e não mais a vimos.

Após um aquecimento colectivo, para o qual eu estava curta de espaço e por isso não aproveitei em todo o seu potencial, lá nos dirigimos à partida. Nós: eu, o CC (aka Ana Cristina Pançadas ahahahah) e a Suzana Faria.

Partida dada, estávamos mesmo cá atrás e por isso tínhamos de dar à perna para começar a passar pessoal, como o início é feito em estrada é mais fácil e claro, o CC tem sempre uma pressa desgraçada e segui-lo é tarefa árdua! A Suzana preferiu arrancar com mais calma, é rapariga de negative splits ;-)

Em menos de nada estávamos a descer uma calçada escorregadia que nos haveria de dar acesso aos trilhos. Sempre que podia ultrapassava pessoal, nunca sabendo de que prova eram já que a partida foi simultânea para as 3 distâncias: curta (11k), longa (22k) e ultra trail (45k?). No entanto, rapidamente entrávamos num single track pelo que rapidamente o CC dizia que as classificações ficavam definidas no km2 :-P Mesmo assim continuava a matraquear-me aos ouvidos para ultrapassar mesmo não sendo possível... Foi aí que me arrependi de o ter "contratado" como lebre :-P

O trilho era mesmo fixe, numa determinada zona tivemos um vislumbre sobre a praia do Guincho e a Serra de Sintra... belíssimo! A parte seguinte era percorrer o passadiço da Duna da Cresmina, cerca de 1,5km de passadiço, ora sobe ora desce, com degraus incluídos, mas com o Guincho como pano de fundo.

Seguiu-se a parte que mais me custou, atravessar a praia do Guincho... não sei se foi o vento ou se foi a areia, só sei que só me apetecia mandar para o chão, mas lá continuei, estoicamente. Nessa altura a Suzana, que tinha passado por mim no final do passadiço, embalou e nunca mais a vi senão na meta! No final da praia subimos pela rocha para a arriba, seguindo a pequena rota marcada por aí até ao Forte do Abano, onde estava localizado o abastecimento, mas como só havia água nem parei. Era aí que existia a separação entre a prova curta e as mais longas.

Seguia-se uma bela subida de pedronga até ao marco geodésico do Barril e foi algures por aí que perdi momentaneamente o CC. No entanto, o percurso entrou numa fase rolante e eu voltei a encontrar-me. Consegui voltar a imprimir um ritmo porreiro e passar um ou outro "trailista". Entretanto, perto do cruzamento com a estrada da Malveira da Serra apanhei outro atleta e de repente estavamos na conversa sobre BTT na Serra de Sintra, isto sem abrandar o ritmo... ao passar a entrada comecei a sentir uns respingos nas costas, e apesar de sentir alguém a correr nas minhas costas não me lembrava de ter visto poças de água no chão... claro que não, era o CC a borrifar-me as costas com o bidão de água :-P

Umas poucas dezenas de metros e estávamos a trepar por um caminho por rocha que me fazia recear por uma cãibra dado o ritmo que tinha vindo a meter. Mas lá me safei e estávamos mesmo mesmo a chegar. Uma voltinha pelas traseiras do recinto e entrávamos na meta! E só mesmo no limite é que deu uma de cavalheirismo ao CC e me deixou cortar a meta à sua frente... na verdade, à frente da Pancadinhas ;-)

Estava feito mais um. E este foi mesmo fixe! O terreno estava óptimo, as vistas eram fantásticas e eu diverti-me! Senti que a semana anterior sem crianças tinha sido bastante produtiva e me tinha dado um bom boost para esta prova.

Ficam umas imagens, poucas...



 



Comentários

Mensagens populares deste blogue

XTERRA MAUI | Ou o azarado Campeonato do Mundo...

Depois de muita preparação, dedicação e esforço esta época, eis chegado o momento de pôr à prova todo o tempo despendido a treinar.

Um destino como o Hawaii era motivo suficiente para querer enfrentar o desafio, mas mesmo com todo o treino feito estava receosa sobre o que iria encontrar, sobretudo em termos de clima. Mas a verdade é que chegámos com uma semana de antecedência, para nos ambientarmos, descansarmos e entrarmos na rotina do novo fuso horário - sim, são 10h de diferença!

A semana antes supunha algum descanso e as tão aguardadas férias, mas não podíamos deixar a forma totalmente de lado... tinha de continuar a haver algum treino... como não podia deixar de ser, e porque fomos 2 semanas, levámos a nossa Piruças connosco, pelo que tínhamos de treinar à vez, mas assegurámos que tínhamos uma babysitter de confiança para ficar com ela durante a prova, não deixando isto de nos causar algum nervoso miudinho, porque no Hawaii não falam português, certo? ;-)

Mas é da prova que quero…

HAPPY!!!!!

Sinto-me infinitamente feliz :-)

E por algo tão simples como ter batido o meu record pessoal nos 100m livres! êêêêê

Mas há várias razões para que este record batido seja tão motivante:
# porque ele significa menos 5" de um anterior record que eu nem sabia bem como o tinha feito;
# porque nas 2 séries de 100m que fiz hoje, na 1.ª igualei o anterior record e na 2.ª esmaguei-o;
# porque trazia um record pessoal da época passada de mais 22.5" que o actual;
# porque isto é resultado de um trabalho árduo e muito individual;
# porque para evoluir fiz muita pesquisa para perceber como poderia melhorar;
# porque nado unicamente acompanhada pelo meu Garmin Forerunner 910XT que me ajuda a avaliar toda esta minha evolução;
# porque nunca desisti de querer melhorar;
# porque me gravei em Agosto com intuito de perceber alguns erros e isso ajudou-me imenso: percebi que estava a colocar o braço cruzado à frente da cabeça e que a minha mão também não entrava como deve ser na água (além de ou…