Avançar para o conteúdo principal

Dizem que é SwimRun...

Como é meu apanágio, quando vejo aparecer alguma coisa nova que me dá pica quero logo experimentar...

Já há uns 2 anos que ouvi falar nestes eventos, na altura só existiam no norte da Europa uma vez que a ideia é originária da Suécia, especificamente da região de Estocolmo. Estou a falar do SwimRun. O SwimRun são provas duras. Duras porque implicam nadar e correr em autonomia, levando o mesmo equipamento do início ao fim da prova e sim, isto quer dizer nadar de sapatilhas e correr de fato isotérmico, palas e pull buoy!

Em Portugal, a primeira prova está agendada para 4 de Junho, na Arrábida, e claro, eu quero lá estar!

Ah e tal tu não nadaste o inverno inteiro... Pois não, mas esta semana já nadei 2 vezes... já fiz 1000 metros :-P

Tenciono ir nadando mais vezes até lá, agora com mais horas de luz a tarefa fica facilitada assim como com o tempo a melhorar, porque não tendo acesso actualmente a uma piscina interior, tenho de me sujeitar a piscinas exteriores ou ao mar...

Mas, vamos lá focar-nos, ontem, dado que estamos numa semana sem miúdos (estão de férias nos avós), aproveitámos para ir à praia da Torre ao final da tarde para experimentar nadar e correr com toda a parafernália!

E voilá, não correu nada mal, também foi curtinho, algo tipo: 200m swim + 600m run + 200m swim, mas já chegou para sair toda tonta da água e com os ouvidos tapados até os conseguir destapar. Devo dizer que estava descrente sobre nadar de sapatilhas, mas na verdade, apertando bem as sapatilhas para não saltarem dos pés e usando pull buoy até nem se dá conta, só foi estranho sentir a água a entrar nos pés... pronta (ou não) para o treino de dia 1 de Maio no local de prova!





Comentários

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Trail do Castelejo

Aproveitando que iamos passar o Carnaval a Leiria e que tinha de me forçar a treinar, descobri que no domingo acontecia aqui pelas redondezas o Trail do Castelejo e convenci o CC a vir comigo.
Optámos pelo percurso de 22km, que dava para fazer um bom treino sem abusar demasiado, Sicó é daqui a 2 semanas! A altimetria não era assustadora, sabia que ia apanhar uma parede pequena logo no princípio (que não foi tão pequena como isso dada a inclinação da coisa) e depois uma subida de cerca de 3k do km 12 ao 15, mais coisa menos coisa.

Chegámos a horas de levantar o dorsal com calma, ir ao carro decidir o que levávamos ou o que ficava no carro, ir aquecer um bocadinho e ainda conversar com o André, primo do CC, que viria a ficar em 3.º da geral masculina dos 22km.
Fomos para a partida e conseguimos furar para não ficar muito atrás. Logo logo, partida dada! Arrancámos com pica e tentei seguir o CC, mas não, ele fura com uma pinta e deixei de o ver num instante. Avancei, tentando analisar qu…