Avançar para o conteúdo principal

A primeira...

Este título é abrangente, dá para descrever tanto a primeira volta de BTT de 2015, como para anunciar que finalmente dei a primeira volta de bicicleta na rua desde a queda no XTERRA Maui e a fractura da tacícula radial esquerda.

Estava vai não vai, ah e tal está frio, ah e tal fico a preguiçar na cama, mas lá me decidi a vestir as calças de ciclismo, calçar os sapatos de encaixe e vestir o blusão quentinho... que afinal até foi quente demais porque não estava assim tanto frio!

Rumei a Monsanto, não fiz a coisa por menos, se queria testar o braço e a mariquice que supostamente voltei a ganhar com mais esta lesão... Não arrisquei demasiado, fiz a maioria do percurso pelas ecovias de Monsanto. Aprovei para testar as pernas na subida da Serafina (o trilho do lado direito do Parque), não correu mal de todo, senti a pulsação a subir o que é normal dado o escasso treino que tenho feito e a tentativa de conseguir ultrapassar com sucesso esta subida que foi de facto bem sucedida. A descida a seguir também não correu mal, apesar de no primeiro trecho ter amaricado, mas depois foi a descer e a torcer para não me espalhar entre as pedras, os buracos e os trocos que atravessavam o trilho de um lado ao outro!

A verdade é que soube mesmo muito bem, já tinha saudades :-)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Trail do Castelejo

Aproveitando que iamos passar o Carnaval a Leiria e que tinha de me forçar a treinar, descobri que no domingo acontecia aqui pelas redondezas o Trail do Castelejo e convenci o CC a vir comigo.
Optámos pelo percurso de 22km, que dava para fazer um bom treino sem abusar demasiado, Sicó é daqui a 2 semanas! A altimetria não era assustadora, sabia que ia apanhar uma parede pequena logo no princípio (que não foi tão pequena como isso dada a inclinação da coisa) e depois uma subida de cerca de 3k do km 12 ao 15, mais coisa menos coisa.

Chegámos a horas de levantar o dorsal com calma, ir ao carro decidir o que levávamos ou o que ficava no carro, ir aquecer um bocadinho e ainda conversar com o André, primo do CC, que viria a ficar em 3.º da geral masculina dos 22km.
Fomos para a partida e conseguimos furar para não ficar muito atrás. Logo logo, partida dada! Arrancámos com pica e tentei seguir o CC, mas não, ele fura com uma pinta e deixei de o ver num instante. Avancei, tentando analisar qu…