Avançar para o conteúdo principal

Corrida Vencer o Cancro | A corrida em que pensei desistir...

Tive a oportunidade de participar nesta corrida e como preciso de uns treinos mais longos e puxados, achei que este era um bom treino!

O percurso desta corrida é sempre agri-doce para mim, mas sou sincera, pelo menos gosto mais da corrida neste sentido do que no oposto (que é mais ou menos o percurso da Corrida do Sporting), isto porque, saindo dos Restauradores na direcção Marquês de Pombal, não há nenhuma alternativa a não ser subir! e aprendi na Corrida do Sporting que do Saldanha ao Campo Grande não é a descer... :-P Além do percurso incluir todos os túneis para cá e para lá, o que acaba por ser um bocadinho parte pernas.

Cheguei cedo, aliás pensava que ia atrasada e fui cedo demais :-P Aqueci do local onde deixei o carro (ao pé da Cinemateca) aos Restauradores, mas lá está, foi cedo demais! Comecei a sentir que ia sofrer um bocado com calor e não tinha água e tinha a boca seca...

Partida! Lanço-me, fiz a Av. da Liberdade muito bem, mas chego ao Marquês cansada, se só tinha uma mulher à frente para além das PRÓS, a partir desta altura com o ritmo a abrandar a olhos vistos, sinto que sou passada por todas as mulheres da prova :-P não é bem assim, mas parece...

Foi muito sofrida esta 1.ª parte até chegar ao Campo Grande, se bem que a água no Saldanha já ajudou qualquer coisa, mas estava a custar tanto que cheguei a pensar "e se eu ficasse no Campo Grande e fosse para casa?", isso não me largava o pensamento, achei mesmo que isto iria acontecer...

Mas cheguei aos tapetes da zona mais distante, perto do Museu da Cidade, já com 5,2K, mais coisa menos coisa, e a água ajudou novamente a refrescar... a partir daí, com a mudança da inclinação do percurso, parece que tudo mudou!

Renasci, qual fénix, e comecei a recuperar... ia passando, aos poucos, vários dos atletas que me tinham ultrapassado na 1.ª parte e só buscava inspiração na prova de ontem, o WTS Chicago, e na corrida - mais uma - brutal da Gwen Jorgensen!

Chegada ao Saldanha, pensei «a partir daqui é sempre a descer!» e lancei-me... Sentia-me lindamente! Pelo Strava consegui ver que fiz os 2,3K que separam o Saldanha dos Restauradores em 9'59" (pace 4'19"/km), que foi excelente, sobretudo comparando com o mesmo registo no início de Abril na Corrida Sempre Mulher, em que demorei 10'37" (4'35"/km)!

Lá consegui passar a meta com 54'05" (tempo oficial / 54'03" tempo chip), cumprindo os 10,8K da prova em 88.º à geral (em 305) e 12.º F (em 116). (LUGARES FINAIS EDITADOS)

Mais um bom treino feito, em que a cabeça não levou a melhor ao corpo ;-)




Comentários

Es uma máquina Soraia. Parabéns pela força de vontade e de não desistires.
ASG disse…
Obrigada Alberto ;-) Sempre atento! Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

Trilhos dos Reis

Não comecei 2018 da forma como gostava de ter começado.

Depois de me sentir fortíssima até meados de Dezembro, talvez tenha abusado e a minha canela direita não gostou... impediu-me inclusivé de desfrutar a minha última prova do ano, a São Silvestre de Lisboa de que tanto gosto!

No entanto, dia 1 de Janeiro de 2018, fui ver como o meu corpo tinha reagido à terapia que tinha feito no dia 29 de Dezembro. Fiz 30' de trail muito calminhos e senti-me bem. Nessa semana continuei, com medos e paninhos quentes a correr leve na passadeira para perceber se teria de abdicar também da minha primeira prova da época, algo que não queria nada que acontecesse.

Mas a sorte protege os audazes e a minha audácia relativamente aos planos para este ano é alguma, tendo assim sido bafejada com a sorte de me ir sentindo melhor a cada treino que fazia.

Na semana anterior aos Trilhos dos Reis tentei arranjar companhia para a viagem. Tinha-me mandado sozinha de cabeça para este desafio, o CC ficava com os me…

Meia Maratona de Lisboa

Parece que já não fazia uma meia maratona de estrada desde 2013, muito bem acompanhada pela minha madeirense preferida, a Catarina Dinis, cujo relato podem ler aqui no blog, e que terminei em 1h49m40s.

Nessa altura fiz treino específico e praticamente dei cabo de mim (fiz uma lesão na anca que me deu luta durante uns meses), nada disso aconteceu desta vez ;-)

Desta vez o treino é específico para trail, desta vez não houve cá descanso nas vésperas da prova (fiz treino de ciclismo e trail na véspera), desta vez não houve semana levezinha (treinei todos os dias só folguei, como habitualmente, na sexta-feira)... o foco não era esta prova, se bem que eu tinha um objectivo na cabeça que queria mesmo muito cumprir! Queria bater o meu recorde pessoal e se possível, queria terminar abaixo da 1h45m!

No entanto, havia uma certa e determinada (tempestade) Félix no ar que provocou uma alteração no local da partida - desta vez não passámos a ponte 25 de Abril - e nos fez comer vento e granizo no l…

IX Trail Longo de Conímbriga Terras de Sicó

Para esta prova consegui convencer a minha lebre a vir comigo, não só apenas à prova, mas fez-me companhia praticamente toda a prova, uma raridade nos últimos anos ;-) No início até tive pena dele porque eu não dava mais e ele estava cheio de gás... mas ele ficou comigo! Isto é amor, senhores! <3
Fomos de véspera com os miúdos levantar os dorsais e para ver algum pessoal do longo a chegar... valentes! A minha filha delirou com o ambiente... mas não do trail... mas sim do rancho folclórico que estava a actuar :-) :-) :-)

No dia seguinte, tinhamos de chegar antes das 8h30 para tirar a foto de equipa conforme tinhamos combinado e assim foi, cheguei on schedule ;-)



Cumpridas todas as tarefas pré-prova, bora lá para a partida que já estava bem cheia e pouco deu para furar... tenho de trabalhar melhor esta cena de chegar cedo à partida!

Partida dada e vamos em euforia percorrendo as ruas de Condeixa-a-Nova...

Daí a Conímbriga foi um pulinho, sempre à morte... e era exactamente como me s…