Avançar para o conteúdo principal

A Etapa da Volta

Assim sem mais nem quê, no último dia de inscrições, o CC desafia-me para irmos fazer a Etapa da Volta... volto a rever a informação de um desafio que havia sido eu a primeira a propôr há uns meses atrás.

Hmmmm.... 72kms? Em estrada? Nunca fiz mais de 40 e picos... e ainda por cima não faço ideia de como é o perfil altimétrico da coisa... não há-de ser nada... siga e depois logo se vê!

Mas na véspera o CC estava com febre e em muito más condições, e ele dizia-me que iamos na mesma para ver, mas que não iamos fazer o percurso, quanto muito faziamos a partida e depois voltávamos para trás.

Na manhã, pela fresquinha, arrancámos de Leiria para conseguirmos estar em Viseu antes das 8h45. Lá fomos nós, IP3 a fora, meio moles e cansados. Chegados a Viseu, fomos buscar os dorsais e voltámos ao carro para pegar nas bikes. Segundo a indicação que se mantinha, só levei um bidão de água e uma barrita... nem a banana dada pela organização comi.

Alinhámo-nos na partida, no meio de centenas de estradistas, rumo ao meu primeiro evento de estrada. Partida dada, mantemo-nos na rectaguarda já que a ideia era desmobilizar.

Seguimos com muita gente, sempre a um ritmo relativamente calmo, de passeio, uma vez que o andamento era controlado. Cada vez que havia uma subida chegavamos a parar, tal era a calmaria da coisa.

Os kms foram passando e eu perguntando ao CC: então? Estás bem? A resposta era sempre que sim, que seguiamos mais um bocadinho. O mais um bocadinho, foi-se tornando gradualmente num mais um bocadão, ou melhor, no até ao fim do percurso.... recordam-se: eu só levei um bidão, certo?

Pelo caminho ainda haviamos de perder o pelotão por causa de um pit stop que fizemos, mas como foi numa descida não podia ser melhor, foi prego a fundo por ali abaixo sem outros ciclistas a atrapalhar até os voltar a apanhar... foi a melhor parte até aquela altura!

Em São Pedro do Sul, o CC partilhou comigo a barra dele, ficando sem nenhuma, e passou-me o bidão de Isostar para ser eu a guardar.... mas entretanto começaram as subidas e ele entusiasmou-se.... nunca mais o vi até ao último km do percurso!

Mas apesar de ter ficado sozinha não foi factor para desmoralizar, antes pelo contrário, puxei mais forte, sempre a tentar dar o meu melhor para fazer um bom treino. Quando se está sozinha aproveita-se o percurso de outra forma: há maior introspecção, interacção com outros ciclistas, apreciação da paisagem e concentração na tarefa. Há também um ritmo muito próprio que se consegue por leitura directa de como nos sentimos, é muito interessante.

Foram subidas sem fim, sempre num pedalar constante, foram descidas alucinadas, com alguma cautela dada a inexperiência, foram rectas compridas em que as pernas se mexiam num pedalar forte e constante. Consegui, apesar de tudo, passar muita gente - leiam-se elementos do sexo masculino, isto porque mulheres eram muito poucas! - o que me deu especial prazer por ser uma iniciante nestas lides da estrada.

Aos 5kms para a meta começava o countdown dos kms. Nunca pensei que chegaria a esta fase a sentir-me bem e ainda com força. A entrada em Viseu é feita numa ligeira descida o que permite aproveitar o embalo e apreciar ainda mais os kms finais. A cerca de 1km da meta, vejo o CC encostado à beira da estrada. Estava à minha espera para cruzarmos juntos a meta. Esperou mais de 20 minutos, coitado!

Mas assim foi, cruzamos a meta juntos, de mão dada e braço no ar a comemorar. Mas com a outra no guiador que para pro ainda me falta muito ;) Valeu :)

Fotos não tenho, apenas a que tirei ao cronómetro da meta quando chegámos...




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Meia Maratona de Lisboa

Parece que já não fazia uma meia maratona de estrada desde 2013, muito bem acompanhada pela minha madeirense preferida, a Catarina Dinis, cujo relato podem ler aqui no blog, e que terminei em 1h49m40s.

Nessa altura fiz treino específico e praticamente dei cabo de mim (fiz uma lesão na anca que me deu luta durante uns meses), nada disso aconteceu desta vez ;-)

Desta vez o treino é específico para trail, desta vez não houve cá descanso nas vésperas da prova (fiz treino de ciclismo e trail na véspera), desta vez não houve semana levezinha (treinei todos os dias só folguei, como habitualmente, na sexta-feira)... o foco não era esta prova, se bem que eu tinha um objectivo na cabeça que queria mesmo muito cumprir! Queria bater o meu recorde pessoal e se possível, queria terminar abaixo da 1h45m!

No entanto, havia uma certa e determinada (tempestade) Félix no ar que provocou uma alteração no local da partida - desta vez não passámos a ponte 25 de Abril - e nos fez comer vento e granizo no l…

Sky Trail Camp Porto da Cruz 2019

Este fim de semana tive o privilégio de ir até Porto da Cruz na Madeira para participar no Sky Trail Camp Porto da Cruz 2019.
Fi-lo integrada no grupo do João Mota, éramos mais de 30, alguns foram uns dias mais cedo e começaram logo a percorrer os trilhos fantásticos da ilha.
Eu só me juntei na sexta, ao final do dia, mas bem a tempo de encontrar o pessoal, conhecer as minhas companheiras de quarto (a Rita e a Lúcia), lanchar com calma e vestir-me para ir correr.
O 1.º treino do Sky Trail Camp, um nocturno de 9kms com 300mD+ começou um bocadinho depois das 20h previstas. Queria ir com o pessoal, uma vez que correr sozinha à noite sempre foi coisa que não me agradou, mas quando dei conta não via caras conhecidas e acabei por avançar ao meu ritmo, algumas vezes correndo sozinha e outras na companhia de desconhecidos. Na verdade, gostei da sensação de correr sozinha com uma luz na testa, mas porque sabia que existiam outras pessoas por perto, parece-me ;-)
Após terminar, fomos ao banhinh…

IX Trail Longo de Conímbriga Terras de Sicó

Para esta prova consegui convencer a minha lebre a vir comigo, não só apenas à prova, mas fez-me companhia praticamente toda a prova, uma raridade nos últimos anos ;-) No início até tive pena dele porque eu não dava mais e ele estava cheio de gás... mas ele ficou comigo! Isto é amor, senhores! <3
Fomos de véspera com os miúdos levantar os dorsais e para ver algum pessoal do longo a chegar... valentes! A minha filha delirou com o ambiente... mas não do trail... mas sim do rancho folclórico que estava a actuar :-) :-) :-)

No dia seguinte, tinhamos de chegar antes das 8h30 para tirar a foto de equipa conforme tinhamos combinado e assim foi, cheguei on schedule ;-)



Cumpridas todas as tarefas pré-prova, bora lá para a partida que já estava bem cheia e pouco deu para furar... tenho de trabalhar melhor esta cena de chegar cedo à partida!

Partida dada e vamos em euforia percorrendo as ruas de Condeixa-a-Nova...

Daí a Conímbriga foi um pulinho, sempre à morte... e era exactamente como me s…

Trail do Marão

Um dos grandes desafios de início de época era este Trail do Marão, uma vez que era a prova com maior acumulado que iria fazer até agora. Sabia que tinha de a enfrentar com mais calma, mas não tinha dúvidas que a iria concluír!
Fui em família para Amarante. Conseguimos sair cedo na sexta para podermos fazer a longa viagem com calma e para podermos jantar a horas com os meninos e ainda levantar o dorsal.
E assim foi, chegámos por volta das 19h, levantámos o dorsal, fomos ao hotel, mas o restaurante para o qual tinhamos feito reserva estava uma confusão... longa espera para jantar e terminámos perto das 23h. No entanto, foi mesmo a tempo para podermos ver a partida às 23h da prova dos 105km que iria enfrentar a noite, a chuva que entretanto voltava a cair, o frio e ainda o gelo/neve nas zonas mais altas. De seguida toca a ir dormir!
De manhã, rumei à prova para me encontrar com os colegas da Strendure Running Team, uma vez que iriamos ter de apanhar autocarro para a partida, que o fize…