segunda-feira, 26 de maio de 2008

Objectivo Travessia: Cumprido!!!

O grande desafio para este ano foi cumprido com sucesso!!!!

5 dias da Travessia de Portugal. De Monsaraz até Sagres. Um verdadeiro teste à minha capacidade de resistência e determinação!

A verdade é que todos os meus receios se foram dissipando ao longo dos dias, e a cada nova subida fui arranjando força para a próxima...

Percorrer o Alentejo e o Algarve foi uma experiência fantástica, as paisagens de tirar a respiração, a companhia sempre aprazível e divertida, tornando as horas a pedalar muito agradáveis!

Na 1.ª etapa que percorri, tinha como cenário inicial Monsaraz e a barragem do Alqueva, que durante bastante tempo nos acompanhou com os seus inúmeros braços que irrompem as terras circundantes, não foi uma etapa difícil, antes pelo contrário, foi a ideal para o primeiro dia.

Cheguei muito bem a Pias, ainda estive tentada a mergulhar na piscina, mas só consegui molhar as pernas.... Estava fresquinho!!!

Os jantares sempre foram bastante agradáveis, boa comida, bom vinho, boas sobremesas e bastante convívio! Os briefings acerca do dia seguinte muitas vezes já eram escutados com um olho aberto e outro fechado, devido ao cansaço acumulado!

O dia seguinte, não iria ser muito diferente, era um pouco mais comprido, mas a dificuldade não era muito maior, de qualquer maneira, como fui mais de metade do caminho com o grupo de mais andamento, acabei por puxar muito mais e chegar um bocado cansada a Castro Verde, uma vez que apanhámos vento de frente nos kms finais...

A terceira etapa já era uma etapa mais complicada comparando com as duas anteriores, mas o cenário era fabuloso apesar da chuva que começou a cair logo pela manhã… Passámos várias barragens, bosques densos e subidas longas, a chuva começou a cair muito forte à hora de almoço e acompanhou-nos até chegarmos à Pousada de Sta. Clara, pelo que para entrar tivemos de levar uma mangueirada cá fora, tamanha era a lama que tínhamos agarrada… apesar de ter sido uma experiência extrema, foi absolutamente fantástica!

Por causa da chuva, não aproveitamos a fantástica pousada de Sta. Clara que está localizada numa envolvente lindíssima, a piscina tinha muitíssimo bom aspecto, mas o céu jorrava água à séria….

O dia seguinte não amanheceu com melhor aspecto, no entanto o pequeno-almoço foi tão retemperador que o início apesar de bem fresco, foi fácil, mesmo quando esta etapa era a que mais me assustava, pois apesar de apenas contar com 55km o acumulado ultrapassava os 1500m, o que caracterizava a etapa como difícil. Sabia que podia também contar com a subida mais difícil de toda a Travessia, 3km em mau piso em que subíamos cerca de 350m, em alguns trechos com inclinações superiores a 20%, seria depois desta subida que iríamos entrar no Algarve. Não subi montada os 3km completos, mas pouco faltou, o que me deixou bastante satisfeita! Após longa descida, chegaríamos ao alcatrão onde subiríamos a serra durante cerca de 7km, numa estrada secundária com inclinações deveras interessantes… depois de muita subida, iniciámos a descida para Monchique onde nos deliciámos com doces Algarvios e foi sempre a descer até ao Hotel Termal onde eu me deliciei no circuito termal…. Que categoria!!! :-)

O derradeiro dia da travessia começou com um nó na garganta, além de ser o último (a aventura estava a terminar), era o dia mais longo e com maior acumulado de subida… Apesar dos jactos de água nas pernas no dia anterior, as pernas estavam cansadas, o que me deixou apreensiva a principio, mas senti-me bem, começámos com uma descida mas depressa iríamos começar a subir, ainda frios, a primeira subida da manhã era demasiado inclinada e técnica, sendo que o aconselhado foi desmontar para não comprometer o resto do dia! A serra algarvia tem o seu quê, muita pedra e muita subidinha com inclinações bem jeitosas… Fomos em direcção ao mar, atravessámos o parque eólico do Espinhaço de Cão e em breve estávamos na Bordeira. A paragem para “abastecimento” foi na Carrapateira, onde se iria iniciar a nossa jornada junto à falésia praticamente até Sagres… Mas ir junto à falésia, apesar de ser arrebatador pela paisagem belíssima que nos circunda, é bastante desgastante pelos altos e baixos e por ter trechos bastante técnicos, apesar de que os mais hardcore eu nem sequer os experimentei… A primeira descida suicida, apenas foi conseguida integralmente pelos dois ingleses que nos acompanharam: o Anthony e a Louize, dos tugas que tentaram apenas o Pedro chegou ao final montado, o Carlos mandou uma queda assustadora, mas só com danos para a manete do travão (que foi posteriormente recuperada) e o Luís conseguiu a proeza de saltar da bike e vir a correr ao lado dela sem saber muito bem como…. :-) O Miguel e o Paulo furaram e desistiram de a fazer, e o resto do pessoal - onde eu me incluia - assistíamos ao espectáculo cá de baixo que era só por si assustador. Logo a seguir vinha um single a subir que só visto, cair para a direita era a morte do artista, alguém ainda conseguiu partir a corrente no início da subida e mandar uma mega tralho para trás que foi aparatoso, mas não causou danos de maior….

Juntámo-nos todos após a praia da Cordoama, na última grande subida da Travessia (1,2km), para juntos chegarmos a Sagres, foi a primeira vez que todo o grupo rolou tantos kms todo junto, num andamento calmo e simpático, a aproveitar os últimos 15 kms desta aventura…

Foi tirada a foto da praxe junto à placa de Sagres, não senti a emoção que acompanha os que completam os 1150kms da Travessia, mas senti uma enorme alegria por ter alcançado o meu objectivo e por ter sido capaz de percorrer todos os kms com determinação e vontade de terminar, só por isso sinto-me muito mais forte!!!

A verdadeira Travessia termina com um suposto banho de mar completamente equipados na Praia da Mareta, eu como sou uma mariquinhas, apenas molhei as perninhas e mesmo assim estava cheia de frio…. Seguiu-se um banho quentinho na Pontalaia e foi arrumar as coisinhas e pormo-nos a caminho de Lisboa!

Não vou esquecer estes dias completos de btt, de conversas, de companheiros do pedal, de repastos fantásticos e de vistas fabulosas… para o ano há mais, pelo menos assim espero!!!!

Estatísticas:
387km
29h41m em cima da bike
7091m acumulado
0 quedas
0 furos
1 barra
2h de SPA


Mais fotos em:
Travessia Portugal_21a25Mai08

domingo, 18 de maio de 2008

X Raid Alvalade-Porto Covo-Alvalade

Ora cá vai...

Foi um espectáculo... O percurso foi mais duro do que inicialmente era previsto, sobretudo por causa do vento que se fazia sentir e da areia, mas para compensar tivemos "direito" a paisagens fantásticas!

O acumulado da prova estava muito bem condensadinho na serra, já depois de 40km cumpridos, e na verdade foi a partir desse ponto que comecei a sentir-me melhor...

Passo a explicar, de início ia com a Carla, mas ela ia a dar-lhe forte e feio, e eu estava a sentir q estava a puxar muito para quem ia fazer 120km, por isso disse-lhe para ir à vidinha que eu cá ia, ela lá me deixou ficar com o Miguel e a Tânia, mas o desgaste que este início provocou, levou-me a uns 10km a ter de recuperar o cansaço.... Mas o abastecimento da Barragem devolveu-me as forças e no início da serra senti-me muito bem, ainda acompanhei a Tânia e o Miguel, e ainda o Medeiros, até um bocadinho antes da descida perigosa que tinha uma ponte de madeira no final, a partir daí deixei de os ver..... Fui ao meu ritmo pela serra, tramada aquela subida antes do abastecimento, mas a gratificação de a ter feito toda montada sabe muito bem(sobretudo por ver mto gajo a empurrar a bike, mm mto gajo), as descidas foram alucinantes, nalgumas consegui nem travar (ando-me a passar, só pode), e o single-track no meio da mata foi soberbo!!!!


Já quase a chegar a Porto Covo encontrei o Augusto, no abastecimento bebi uma água e comi uma banana e decidi fazer-me à estrada, pensei: "vai ser duro fazer o resto do caminho sozinha, mas ok, siga!!!", mas passado pouco tempo recebi uma chamada da Carla a dizer que estava um pouco mais á frente com o Lúcio e o Vitinha e que esperavam por mim.... E assim foi, e ainda bem, fazia-me falta companhia para conseguir terminar aqueles kms que mm assim ainda tinham algum sobe e desce que provocava algum desgaste!!!!

Mas o facto de ter terminado aqueles 120km deu-me uma grande satisfação, fiz cerca de 8h a andar e 9h de tempo total... De certeza que da próxima vez será melhor.....

Uma referência só ao fantástico acolhimento da organização: pequeno-almoço antes da partida, pelo menos 2 pessoas em cada intersecção com o alcatrão, abastecimentos recheados e a calorosa forma como nos davam força para continuarmos (desde palmas, a palavras de incentivo) e tudo isto por 10€!!!! Cinco *****

Ah, é verdade, obrigada também pelo tratamento de beleza, ou aquele pó todo que tinha na cara no final não tinha nada a ver com isso????


E ainda deu para conhecer algum pessoal que só conhecia dos fóruns, entre eles: Jorgex, cácá, Turtle, o jcsc e o big boss "Ludos"... desculpem se me esqueci de alguém, é do empeno ;-)

Aqui fica o link das poucas fotos que tirei mais 2 extra da minha pessoa gentilmente cedidas pelo Miguel:
X Raid Alvalade-Porto Covo-Alvalade


Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 119km
Tempo: 7:59:57 (total: +/-9h)
Média: 14,87

Nota: Nem por coincidência, eu em Alvalde e o Sporting a ganhar mais uma Taça!!! ;-) SPOOOOOOORRRRRRRTTTTTIIIINNNNNNNGGGGGGGG

sábado, 17 de maio de 2008

Ah e tal dá para passar...com água pela cintura!

Hoje fui pedalar para a margem Sul... O guia foi o Sérgio!!!

Partimos da Charneca por trilhos até à Fonte da Telha e daí entrámos na Herdade da Apostiça até à Lagoa de Albufeira... nessa altura alguém que não vou dizer quem, mas que o nome começa pela letra João, já tinha conseguido partir a corrente... Força não lhe falta para a Travessia ;-)

Entretanto muita areia, mas o que viria a seguir, seria o ponto alto da manhã ciclistica, pedalar ao longo da margem da Lagoa de Albufeira e por 2x atravessar a Lagoa, a 1.ª vez com água pelos joelhos e da 2.ª vez com água quase pela cintura....

A partir daí foi quase tudo por estrada, à excepção de uma incursão ao longo da vedação da Nato.

Chegámos de novo à Charneca mais tarde do que era suposto, depois banhoca e um belo almocinho no "Oh Carlos"....

... Pró ano fica a visita ao Lisboa Downtown... ainda não foi desta :-(

Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 56,72km
Tempo: 3:32:50
Média: 15,98

quinta-feira, 15 de maio de 2008

domingo, 11 de maio de 2008

III Maratona de Idanha-a-Nova

Esta foi a primeira vez que rumei a esta zona do país para pedalar, mas as fotos da edição anterior foram suficientemente apelativas para me convencerem a ir.... e posso dizer que valeu bem a pena a viagem!!!

Primeiro que tudo quero agradecer ao P por nos ter cedido a casa em Idanha onde pudemos pernoitar! Thank you!!! ;-)

O levantamento dos dorsais no final da tarde de sábado, foi muito calminho, sem qualquer stress, já não posso dizer o mesmo relativamente a encontrar um sítio para jantar, parece que os restaurantes decidiram fechar de propósitos... ai e tal, vêm aí aqueles gajos das lycras, vamos lá barricar isto!!! Vá-se lá perceber.... Mas houve uma sra simpática que abriu a cozinha de propósito para alimentar 7 famintos bttistas! ;-)

Pois bem, o dia seguinte acordámos cedinho para nos fazermos à estrada de bike rumo ao pequeno-almoço no mesmo local onde tinhamos jantado... Deu logo para abrir o pulmão!!!

Conseguimos chegar cedo ao largo da CM, deu para ver algumas caras conhecidas (Galvas obrigado pelo abastecimento) e a partida foi dada mesmo na hora marcada! Como o número de participantes não era exagerado a partida foi feita sem confusão e foi isto que fui sentindo ao longo do percurso, sem stresses....

O percurso foi bastante rolante, no início fiz logo uma descidita a penantes, o meu travão de trás estava a fazer uma chiadeira que não se aguentava e como as pedras eram muitas, juntei o útil ao agradável! Só voltei a desmontar na descida para a barragem, altura em que conheci uma das companheiras do PedalaDelas, a VeraTiago! Antes tinha também conhecido a Fura-Aninhas (ela foi aos 100km eu vi)! :-)

Fui encontrando outras caras conhecidas pelo caminho, e fui conhecendo outras, o espírito foi sempre bom entre os participantes com quem fui trocando algumas palavras!

Os trilhos foram fabulosos, descidas fantásticas, mesmo para quem tem algum receio de descer trilhos técnicos (como eu)!

A descida para o Rio Erges, embora fosse extremamente técnica, valeu bastante a pena, foi um belo “passeio pedestre”… a vista era fantástica, e ainda deu para ver uns grifos a planar… :-)

A companhia foi fantástica, eu, a Nani e a Carla rolámos sempre juntas, às vezes lá nos separávamos uns minutos por entusiasmo num trilho ou outro, mas lá nos juntávamos novamente…. Valeu!!! :-D

Na chegada a Zarza, a desilusão, uma pasmaceira… Nenhum entusiasmo…. Ainda gritei no gozo: “E palmas? Ninguém bate palmas à nossa chegada?” mas olharam todos como se eu fosse tontinha…. (Ok, não vale a pena confirmarem)

De Zarza seguimos com o Jaime de carro até Zebreira, onde o Aurélio estava a “abastecer”, daí até ao fim faltavam 25km, mas nestes constava a bela subida da calçada até Idanha-a-Nova!

O Miguel é que fez quase a maratona em modo solitário, mas correu bem, não teve nenhum furo, e ainda bem, porque a bomba tinha ficado no carro!!! Ah pois é…

Não posso deixar de referir que os banhos das raparigas não foram no local anunciado previamente o que nos fez ainda andar para cima e para baixo à procura do local correcto, mas ao menos a água era morna, deu para não arrepiar muito!

O jantar não estava nada mau… Só faltava assim um arrozinho doce… ;-)

Mas já se começava a fazer tarde e tínhamos de rumar a Lisboa….

Em resumo: Apesar de existirem alguns pontos menos fortes (abastecimentos, ofertas, falta de informação sobre localização de banhos e etc) acho que cômputo geral foi muito bom… A regressar para o ano para fazer os 100km!!!

III Maratona Idanha-a-Nova_11Mai08

Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 55,70km
Tempo: 4:13:18 (total: 5h30)
Média: 13,19

Nota: É verdade, decidi estrear o meu novo selim (Selle Italia SLK Lady Gel Flow), para o bem ou para o mal, desse por onde desse, mas não é que correu bem? Aprovadíssimo! Gostei…. :-)

domingo, 4 de maio de 2008

À torreira na Arrábida

O convite chegou do Miguel, ia aventurar-se a ser nosso guia na Arrábida, pareceu-me interessante!!! ;-)

Mais convite menos convite, o Filipe Rafael, meu colega da faculdade e habitué dos passeios "Á Borliu" finalmente deu umas pedaladas connosco (pena é que os sapatos de encaixe não me tenham servido... Alguém calça o 35 e precisa de uns excelentes sapatos de encaixe a bom preço???) e também a Cristina Marques se juntou para fazer uma das suas voltinhas favoritas! :-)

A proposta era partir de Palmela e fazer o trilho dos moinhos, fio dental, cai de costas, sobe-e-desce e Comenda....

O dia que começou meio chocho, não previa o calor que se haveria de fazer sentir....

O trilho dos moinhos ainda foi feito com o tempo meio encoberto, mas quando fomos fazer o single do fio dental, já o sol brilhava intensamente... desta 2x que fiz este single já consegui estar mais tempo em cima da bike do que a andar, da próxima a ver se o faço praticamente todo montada!!!

A subida para o cai-de-costas, começava muito antes disso, uma subidinha comprida mas que se fazia bem num ritmo cadenciado, o cai-de-costas é que é mesmo isso... como foi a primeira vez que o tentei subir, receosa, decidi desencaixar o pé, foi a morte da subida, acabei por não insistir! Fica para a próxima!!!

O Sobe e Desce caiu mesmo bem, as subidas faziam-se bem com o embalo da descida anterior.... e havia sombrinha em grande parte do percurso!

Depois de ter feito o caminho para a Comenda é que percebi porque é que no Inverno a malta não faz aquele trilho, o terreno é completamente barrento e como estava seco o pó vermelho cola-se às pernas... passámos a ribeira por 3 vezes, uma delas foi uma verdadeira aventura!

Ficámos tristes porque afinal não haviam barraquinhas de comes e bebes na Comenda... :-( Mas o abastecimento fez-se à mesma!!!!

A foto de família foi tirada um pouco mais à frente e depois disso o retorno a Palmela era o nosso objectivo, começava a fazer-se tarde... O sol brilhava intenso e as subidas eram feitas na torreira do sol, mas mesmo assim, fizeram-se bem!!!

O sol só decidiu encobrir quando chegámos ao alcatrão, para a última subida do dia...

Foi uma excelente manhã de btt!!!

Miguel, bom passeio, grandes fotos, estás contratado.... ;-)


Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 36,87km
Tempo: 2:43:57
Média: 13,49

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Em Sintra no dia do trabalhador

O ponto de encontro era na Lagoa Azul às 9h30, mas a essa hora já estavamos todos a pedalar, praticamente toda a gente chegou mais cedo... Éramos 12, eu, o Carlos, a Tânia, o Miguel, a Nani, o Aurélio, o Galvas, o Francisco, o Luis, o Dino e mais um senhor e o filho dele que eram amigos do Dino (se não me engano).

Começámos a subir a longa subida desde a Lagoa Azul até aos 4 Caminhos, entrámos no single da descida com os drops, a seguir fizemos o single dos troncos, e por último, fizemos o outro single que começa com as pedras.

Daí fizemos a descida que depois nos leva à subida do convento dos Capuchos.

Abastecimento no parque de estacionamento dos Capuchos.

Em conversa com o Galvas e o Dino, disse-lhes que queria subir o Monge até lá acima sem parar, ambos me incentivaram, assim, começámos a subir com calma (a minha calma, para manter o meu ritmo), o Dino veio sempre comigo e libertámos o Galvas dessa tarefa... estava a correr muito bem, consegui controlar respiração e esforço, mas o pneu escorregou na terra já no cotovelo com vista para a Praia das Maçãs, mas não desarmei... O Dino ajudou-me a montar outra vez e daí foi sempre a subir até lá acima!!! :-) YEAH!!!

Nessa altura, aproveitei para pôr ar no meu pneu da frente que estava em baixo (suponho q seja um furo lento), e fomos até à Peninha, que também consegui subir até lá acima! 2 YEAHS!!!


Depois da foto de grupo, descemos novamente, mas um dos companheiros que não sei o nome estava com um problema no pipo e ficámos na base a aguardar a resolução...

Começamos a descer, e num momento de excesso de confiança, o pneu resvalou entre terra e calhau e perdi o controlo da bike, mandei um tralho como há muito não mandava, mas fiquei impecável, sem sequer um arranhão, apenas uma sensação de pé torcido que passou em 2 minutos...

Continuamos a descida pelo caminho habitual, no final, apanhámos um estradão rolante que nos levou até à primeira encruzilhada, como os mais rápidos já lá iam há muito tempo, quando cheguei ao portão no final do estradão pensei 'hum, por aqui vai dar à Malveira, mas não é por aqui que eles devem ter ido...', deixei chegar o resto do pessoal e, em consenso, descemos o outro trilho - decisão acertada - que nos levou à barragem do Rio da Mula!

Daí mais uns poucos trilhos e entravamos no alcatrão que nos ia levar de novo ao carro!

Despedidas, alongamentos, voltar a colocar a bike dentro do carro (sim, porque como é óbvio não chego aos suportes da bike) e voltar para casa.... que belo FERIADO!!!!

Aqui ficam os dados-resumo:
Km percorridos: 28,26km
Tempo: 2:21:12
Média: 12,00

Nota: Fiquei sem registo de 3km que fiz entre o topo do Monge e a Peninha, como tive a encher o pneus, o iman ficou virado para o lado... :-(